A luta contra o combate a corrupção no Grupo China International Fund – João Marcelo
A luta contra o combate a corrupção no Grupo China International Fund - João Marcelo
cif

O excelentíssimo Ministro da Indústria e Comércio, Dr. Rui Minguês, no dia 11 de Dezembro do corrente ano, criou uma Comissão de Gestão, que com muito pragmatismo de que lhe característico e sapiência estão a levar a cabo de forma implacável uma luta cerrada contra actos e cultura de corrupção, abuso de poder e má gestão perpetrada pelo actual PCA do Grupo CIF, o cidadão de nacionalidade chinesa, Brian You.

Infelizmente, um desmantelamento que o seu antecessor, Victor Fernandes deveria ter feito ou iniciado, mas o contrário foi constatado e já que seu ciclo foi apanhado nas teias de aranha do Grupo.

Sobrefacturação: Compra de uma mina de argila para a unidade de negócio da Cimenteira, que estava a venda no valor de 400,000,000.00 de kwanzas, mais comprada em mais de 1, 400,000,000.00, de kwanzas e com hectares reduzido, somente 25 hectares dos 90 previstos.

Pagamentos milionários: O pagamento a uma empresa intitulada CNN (empresa sem histórico no mundo de cimento) de indianos que realizaram uma consultoria de fachada de 3 dias e sacaram do cofre da empresa mais de 900 mil dólares em 3 dias, ou seja, um pagamento de 300 mil dólares por dia.

Associação há algumas empresas prestadoras de serviço e adjudicação directa: Várias empresas estão associadas ao seu ciclo, como a de restauração (Lingatchiwa), gerida por um cidadão português, Hugo, está associado ao mesmo, assim como algumas outras empresas do Grupo.

Monopólio da distribuição de cimento: · Monopólio da distribuição de cimento (violando a lei da concorrência), mesmo sendo um activo do estado, 93% da venda da produção de cimento é realizado por dois distribuidores chineses.

Apolo Jun: Uma empresa chinesa com bilhões de kwanzas em fracturação anualmente nos últimos anos, empresa associada ao PCA.

Passividade redução da discrepância salarial anormal entre nacionais e expatriados: Existe uma grande discrepância salarial entre a mão de obra chinesa e Angola, independentemente da posição ou qualificações académicas.

Este e outros poderão ser somente alguns dos motivos na qual até a presente data o grupo CIF ainda não foi privatizado, muitos interesses…

Sendo a cimenteira a vaca leiteira do Grupo CIF, ainda assim, a mais de 9 meses que os trabalhadores desta unidade de negócio defecam ao ar livre, por falta de balneários, um atentado a saúde pública e inaceitável, pois passa despercebido pelo seu PCA, alguém que somente preocupa-se com os seus compatriotas e nunca com os nacionais.

Ambas instituições do estado, como a inspeção do trabalho e Bombeiros, constaram graves irregularidades da intuição, chegando mesmo os Bombeiros a multarem a Fábrica de Cimento e a IGT dando uma moratória em Dezembro.

Sendo a vaca leiteira usada para alimentar os interesses do PCA e de altas figuras do ministério do anterior Ministro, o calcanhar de Aquiles para todos sempre foi a empresa Austríaca – Alemã ATEC, responsável pelas operações da fábrica de Cimento, sendo desde 2019 até a data presente responsável pelas as operações da fábrica de Cimento, tendo implementando critérios de gestão, aprovação, transparência, reduzindo e aumentando a mão de obra chinesa de 400 para 50 e substituindo gradualmente com Angolanos e em simultâneo alcançado os objectivos de produção e redução de custos e paralelo compras, empresas tinha que ter o parecer da empresa Austriaca-Alemã. Porém, cogita-se que o novo que o novo Ministro, Dr. Rui Minguês foi induzido ao erro pelo PCA do Grupo CIF e pessoas do Ministério que tutela (elenco do anterior Ministro) e como resultado, de forma prematura rescindiu o contrato com a empresa ATEC. Como resultado, o PCA contratou 7 chineses para substituir a empresa cessante e ocupar os cargos de direção em simultâneo, voltar a ganhar o controlo pleno da Gestão da Cimenteira e gerir ao seu belo prazer.

Ao invés de recrutar quadros nacionais ou absorver os quadros altamente competentes da empresa ATEC, logo com a contratação de quadros chineses que na qual 90% dos cargos de chefia estará de volta a responsabilidade dos mesmos, os trabalhadores inclusive a Comissão Sindical teme pelo futuro sendo que no passado os mesmos foram maltratados e colocados em situações desumanas.

Todavia, mais vale tarde do que nunca, o Ministro, na ultima da hora, fez uma uma jogada de mestre (check mate), criou uma comissão de Gestão, quadros jovens, nacionais com vontade de fazerem diferente e em poucas semanas em ação já se faz sentir uma almofada de ar fresco, transformação, transparência e mudança de paradigma não só na Cimenteira mas em todo o Grupo CIF, com iniciativas de gestão adotadas pelas grandes empresas, transparência e sentido patriótico, voltando a dar esperança aos quadros Angolanos, todavia o futuro continua ainda melindroso.

Siga-nos e deixa um:
fb-share-icon0
Tweet 5k
Pin Share20

Compartilhar:

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook0
Twitter
Visit Us
Follow Me
LINKEDIN
INSTAGRAM
error: Conteúdo protegido