“Autonomia de Cabinda estaria resolvida há muito se houvesse boa vontade” – Raul Tati
"Autonomia de Cabinda estaria resolvida há muito se houvesse boa vontade" - Raul Tati
Raul Tati

O activista Raul Tati considerou esta na terça-feira, em Luanda, que, “se houvesse boa vontade”, a reclamação há várias décadas de autonomia para a província de Cabinda, “estaria já resolvida há muito tempo”.

O antigo vigário da diocese de Cabinda, que lançou o seu livro “Identidade Histórica e Cultural dos Cabindas“, disse que, “como activista de Cabinda”, tem estado “muitas vezes” a falar sobre o assunto.

“Não há outra solução que não seja o diálogo. Aliás, os portugueses, quando se fez o golpe do 25 de Abril perceberam que a guerra do ultramar só seria resolvida por via política e não militar e pararam com tudo, pararam com a guerra”, disse Raul Tati, à margem do acto de lançamento do seu quarto livro, esta Terça-feira, em Luanda.

Para o ex-deputado à Assembleia Nacional, “este é o caminho que Angola tem que seguir”.

Desde a independência de Angola, em 1975, que a Frente de Libertação do Estado de Cabinda (FLEC) reclama autonomia para aquele território situado no norte do país, de onde provém grande parte do petróleo.

Sobre a situação em Cabinda, o Governo nega qualquer instabilidade na província, sem nenhum posicionamento quanto aos comunicados que a FLEC tem emitido sobre as suas acções em Cabinda.

Nas últimas semanas, a FLEC tem emitido vários comunicados com o anúncio de investidas militares contra as Forças Armadas Angolanas, que têm alegadamente resultado em mortos e feridos, prometendo intensificar os ataques.

in Lusa

Siga-nos

Compartilhar:

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Twitter
Visit Us
Follow Me
LINKEDIN
INSTAGRAM
error: Conteúdo protegido