Conflito de interesse no Porto de Luanda
Conflito de interesse no Porto de Luanda
joao fernandes

O Serviço de Investigação Criminal (SIC) solicitou recentemente evidências de facturação de serviços prestados pela empresa pertencente à uma colaboradora do administrador comercial João Fernandes.

A direcção nacional de Investigação Criminal do SIC, localizado no Porto de Luanda, emitiu o ofício n.° 03/DNICP-14/2024 ao Conselho de Administração do Porto de Luanda, solicitando informações.

No referido ofício, o SIC solicita ao Porto de Luanda que seja fornecido o comprovativo do serviço prestado pela empresa “OLOS, CREATIVE STUDIO AND ARCHITECTURE”, com o NIF 5001450204, relativo ao pagamento de 1.450.000,00 de kwanzas.

Uma fonte próxima ao SIC no Porto indicou que este valor está relacionado com trabalhos de construção e equipamento realizados pela empresa no escritório do administrador comercial do Porto de Luanda, João Fernandes.

“Esta empresa que realizou a obra está registada em nome de Wandisa Alexandra Silva, chefe do sector de marketing do Porto, a qual foi introduzida no Porto por João Fernandes”, denunciou a fonte.

Esta fonte menciona que esta é apenas uma de várias facturas já pagas, visto que o Departamento de Contabilidade do Porto de Luanda registou o pagamento de mais de 70 milhões de kwanzas a favor da mesma empresa, de acordo com documentos legais.

Fontes no sector comercial do Porto afirmam que Wandisa já foi secretária do Ministério dos Transportes, dirigido por Ricardo de Abreu, antes de ingressar no Porto de Luanda, onde João Fernandes a promoveu a chefe de marketing.

Departamento de Compliance é conivente

O Departamento de Compliance, estabelecido por João Fernandes quando assumiu o cargo de administrador executivo, aprovou o processo da empresa “OLOS, CREATIVE STUDIO AND ARCHITECTURE”, mesmo sabendo que a empresa está registada em nome de Wandisa Alexandra Silva.

“Esta situação configura um conflito de interesse e é considerada ilegal segundo a lei”, afirmou um jurista consultado.

A fonte do SIC indica que nos próximos dias esta empresa realizará trabalhos semelhantes nos gabinetes do administrador financeiro, Dr. Pedro Dozi, e do administrador não executivo, César Ferreira.

“Isso constitui um negócio entre partes relacionadas e é ilegal. O processo está sob nossa investigação e vamos pressionar, pois o departamento de compliance foi conivente ao permitir que isso ocorresse”, concluiu a fonte do SIC.

in Club-K

Siga-nos e deixa um:
fb-share-icon0
Tweet 5k
Pin Share20

Compartilhar:

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook0
Twitter
Visit Us
Follow Me
LINKEDIN
INSTAGRAM
error: Conteúdo protegido