Corrupção no GP do Cuando Cubango: O papel do diretor do GEPE – Pedro Nsolé
Corrupção no GP do Cuando Cubango: O papel do diretor do GEPE - Pedro Nsolé
Paganini da Silva

Nos últimos meses, têm surgido alegações comprovadas sérias de corrupção no Governo Provincial do Cuando Cubango. Um nome que se destaca nesse contexto é o do diretor do Gabinete de Estudo, Planeamento e Estatística (GEPE), Elias Paganini da Silva, que é acusado de ser o cérebro coordenador da corrupção na província, a mando do governador José Martins.

Uma das acusações mais preocupantes contra Elias Paganini da Silva é a prática de nepotismo, favorecendo parentes e amigos na obtenção de contratos governamentais.

Além disso, ele é acusado de introduzir empresas ilegalmente no projeto PIMM (Plano Integrado para a Melhoria da Mobilidade), sem a realização de concursos públicos transparentes.

Essas acções podem minar a competição justa e prejudicar empresas legítimas, além de prejudicar o desenvolvimento da província.

Outra acusação séria é a cessação ilegal e abusiva de contratos em curso sob a gestão de Elias Paganini da Silva. Isso levanta questões sobre a integridade do processo de tomada de decisão e a possibilidade de contratos serem encerrados sem justificação adequada ou em benefício de terceiros com conexões políticas. A falta de transparência nesses processos é preocupante e deve ser investigada minuciosamente.

A falsificação de documentos é uma acusação extremamente grave que não pode ser ignorada. Elias Paganini da Silva enfrenta alegações de falsificação de documentos para obter novos contratos para empresas favorecidas. Isso não apenas prejudica a integridade dos processos de aquisição, mas também representa uma ameaça ao desenvolvimento econômico e social da província.

Além dos factos mencionados acima, há suspeitas de que a gestão de Elias Paganini da Silva esteja orientada ao nepotismo, branqueamento de capitais e desvio de bens da província. Tais práticas prejudicam a confiança pública nas instituições governamentais e minam os esforços para promover o desenvolvimento sustentável.

É crucial ressaltar que as alegações de corrupção contra o Diretor do GEPE, Elias Paganini da Silva, são extremamente sérias e exigem uma investigação rigorosa e imparcial. A corrupção mina o progresso, prejudica a confiança pública e compromete o bem-estar da população.

O devido processo legal deve ser seguido para estabelecer a verdade e garantir que os responsáveis sejam responsabilizados. A transparência, a prestação de contas e a integridade são fundamentais para o bom governo e o desenvolvimento de qualquer região, e o Cuando Cubango não é exceção.

Siga-nos e deixa um:
fb-share-icon0
Tweet 5k
Pin Share20

Compartilhar:

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook0
Twitter
Visit Us
Follow Me
LINKEDIN
INSTAGRAM
error: Conteúdo protegido