Estudantes da UMA manifestam contra aumento das propinas
Estudantes da UMA manifestam contra aumento das propinas
metodista

Os estudantes da Universidade Metodista de Angola (UMA) manifestaram, nesta terça-feira, em Luanda, contra o aumento das propinas na instituição, cujos valores vão desde os 41.828,19 (mínimo) aos 136.892,25 (máximo). Os estudantes permaneceram no pátio do campus, como protesto, numa tentativa de inverter a situação.

A propósito da acção, o reitor da UMA, Tiago Caungo, esclareceu que não houve um aumento das propinas, mas sim a retirada dos descontos anteriormente aplicados.

O responsável explicou que o reajuste das mensalidades, taxas e emolumentos da Universidade resulta de actualizações do Estado, por meio de um Decreto Executivo Conjunto, de 01 de Setembro de 2023, que foi aplicado internamente a 15 de Setembro de 2023.

“Em consideração ao contexto na época, a Universidade adoptou uma política de concessão de descontos sobre a propina reajustada aos estudantes, conforme estabelecido na Comunicação Interna Ref.: 28-23/DAF, de 15 de Setembro de 2023, os quais vigorariam até ao dia 15 de Abril de 2024”, referiu.

Para si, a reivindicação, protagonizada hoje, resulta do lembrete feito no dia 15 de Abril sobre o término dos descontos.

“De Setembro a Abril, em resposta às dificuldades enfrentadas por muitos dos nossos estudantes, estes beneficiaram dos descontos concedidos pela Universidade. Neste período, não sentiram os efeitos dos reajustes aplicados nas propinas”, acrescentou.

Segundo o reitor, a Universidade Metodista de Angola reitera o seu compromisso com os valores democráticos, permitindo manifestações pacíficas no campus, desde que não haja qualquer tentativa de vandalismo.

Realçou que os estudantes que optam por participar de manifestações, devem respeitar aqueles que optam por não aderir e garantir que o funcionamento normal das aulas não seja prejudicado.

“É importante ressaltar que qualquer estudante envolvido em actos de vandalismo, durante uma manifestação, pode enfrentar sanções disciplinares de acordo com o regulamento interno da Universidade”, argumentou.

Conforme o docente, o diálogo e o respeito são fundamentais para manter um ambiente académico seguro e produtivo para toda a comunidade universitária.

Com a retirada dos descontos, a mensalidade mínima do curso de licenciatura fica em 41.828,19 e a máxima de 57.973,95 kwanzas. Os cursos de mestrado estão em 136.892,25 kz.

Siga-nos

Compartilhar:

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Twitter
Visit Us
Follow Me
LINKEDIN
INSTAGRAM
error: Conteúdo protegido