Filho de jornalista Gustavo Costa que “Goza’qui” almeja ficar rico sem que as pessoas pensem que roubou de algum partido
Filho de jornalista Gustavo Costa que "Goza'qui" almeja ficar rico sem que as pessoas pensem que roubou de algum partido
tiago costa

O projecto humorístico “Goza’qui” foi criado com a finalidade de descobrir talentos e lapidá-los da melhor forma, com o objectivo de engrandecer a cultura angolana. Quem o diz é o seu criador e principal animador, Tiago Costa, que além de se assumir como “agarrado” financeiramente, afirma que “faz de tudo para não fazer nada”

Tudo começou quando Tiago Costa foi desafiado por um amigo que sabia do seu grande foco, que sempre foi o humor. Tiago Costa aceitou o desafio por apenas um mês, mas, visto que a sociedade aderiu em massa, nunca mais parou e hoje o projecto Goza’qui já leva mais de 10 anos.

“Eu costumava frequentar o ‘Artes ao Vivo’, concurso de poesia, onde sempre apareciam humoristas talentosos em busca de uma oportunidade. Foi assim que criei um espaço de forma a dar asas aos humoristas angolanos”, disse.

O humorista fez saber que sempre viveu em ambientes com muito humor e, por esta razão, decidiu levar a sua vida profissional com humor. O Goza’qui foi planificado apenas para um mês. “Os Maias haviam feito contas que o mundo acabaria em Dezembro de 2012. Hoje peço perdão e socorro ao código Morse, por colocar na minha cabeça que o mundo iria acabar. Até hoje estamos aqui, firmes”.

Tiago Costa gosta de ser apresentado como um filho de jornalistas, pelo facto do seu pai ter exercido a profissão e a mãe ser funcionária da Angop (Agência Angola Press). O humorista considera que a relação dos seus pais gerou “um dado com muita memória” (risos).

Justificou que a base de dados, com a qual se identifica, se deve ao acesso à informação que sempre esteve ao seu alcance, pois desde tenra idade tinha curiosidade sobre tudo e passou a levantar questões, o que o levou a tornar-se num jovem socialmente preocupado.

Em 1985 nasceu Tiago Manuel Bessa da Costa, filho único do casal Ana Paula Bessa e Gustavo Manuel da Costa, que lhe proporcionaram dois irmãos. Formou-se em Direito por achar que a advocacia lhe proporcionaria uma boa qualidade de vida, mas após terminar o curso descobriu que tinha de trabalhar para a sociedade.

O facto do seu pai, Gustavo Costa, ser um jornalista incompreendido e por várias vezes ter sido levado a tribunal, levou-o a esforçar-se e a dedicar-se mais ao curso. Com as bases que aprendeu no decorrer da formação, o humorista usa o Direito nas suas piadas.

Abordar a sociedade com muito humor

Tiago Costa nasceu em Portugal. Aborda as situações sociais com muito humor, dando a possibilidade ao cidadão de encarar as dificuldades com leveza.

O artista não é apologista de humoristas que levam a dança ao humor, pois “são duas artes que merecem respeito e a plateia não espera pagar um show de humor misturado com dançarinos para fazer piadas, visto que as artes são separadas por alguma razão e em Angola não há escolas para estas misturas”.

O humorista pretende internacionalizar a marca Goza’qui. Neste momento, está a trabalhar para recolher o lucro, pelo facto de nos últimos 10 anos de implementação do projecto apenas o fez pela expansão da arte e deu oportunidade à aparição de novos talentos sem recolher dividendos, com a ideia de mostrar que é possível fazer o que se gosta, mostrar o retrato da sociedade e ainda ganhar dinheiro com o humor.

Goza’qui é um clube de humor, onde qualquer um com capacidade de fazer humor tem oportunidade de demonstrar o seu talento. “Hoje procuramos por mulheres, pois quando estas começarem a fazer humor o país vai mudar para melhor, dada a sua versatilidade”, diz Tiago Costa, que almeja ficar rico sem que as pessoas pensem que roubou de algum partido. E confessa que quer viver bem sem fazer nada… (risos).

Conhecido por muitos como um dos humoristas mais críticos do país, Tiago Costa defende ser o mais socialmente responsável, pelo facto de apontar situações com vista à transformação social.

Apontou que existem vários tipos de humor: “humor azul” é aquele que não incomoda ninguém, o “humor político e o negro” que aponta o dedo às falhas políticas, agrega valores sociais e fala da morte, o “humor judeu”, que fala da religião, e o “humor feito de mímica e representação”. “Existe ainda o ‘humor pejorativo’, em que gozas contigo mesmo, e o ‘humor de bullyng’”.

Tiago Costa dá a conhecer que tem como fonte de inspiração o humor feito por Sérgio Piçarra. “Todo o humorista é inteligente. Eu achava que me devia distanciar dos demais, mas hoje destaco-me pelos conteúdos, pois para perceber uma piada é necessário ter a inteligência de reflexão. Posso falar do Angosat, pobreza e bens dados para uma determinada classe social e tu não acompanhares a rotina por falta de reflexão”.

Crítico e inteligente

“Sou considerado por algumas pessoas como sendo um humorista crítico ou que faz humor inteligente, porque trago nos meus conteúdos assuntos que me incomodam. No início era muito sobre a falta de água e energia eléctrica, e olha que sempre estive no local dos privilegiados, dados os sacrifícios do meu pai, mas tive de fazer alguma coisa para mudar o quadro social, de formas que um marimbondo roube apenas 90 e não 100”.

De acordo com o humorista, o que faz “é para que os governantes tenham consciência dos seus actos e assim fico com a minha consciência tranquila”. O que faz ainda, segundo o próprio, é transformar as notícias em humor, sem criar difamação nem calúnia, retratando os factos sociais com humor.

Tiago Costa explica que faz uma avaliação positiva da actividade humorística no país e que entre as hipóteses existentes no país só restam duas opções: “fazer o que se gosta ou fazer o que os outros gostam. E quando se é artista tem de se ousar fazer o que os outros não esperam”. Por esta razão, avançou, “tenho respeito pelos meus colegas Gilmário Vemba, Calado Show e Os Tuneza”.

O Goza’qui é definido pelo seu criador como um clube de comédia em que qualquer pessoa pode ir lá apresentar o seu saber. “A minha intenção é que todas as províncias tenham um standard de humor. Os portugueses riam-se dos angolanos, eu decidi fazer humor para que nós, os angolanos, gozássemos das nossas dificuldades e assim, há 10 anos, os portugueses não gozam dos angolanos”.

Talentos descobertos

Tiago Costa hoje tem como inspiração alguns dos “miúdos” que ele mesmo descobriu, como o Ladilson, que antes cantava Rap e hoje tem o seu próprio programa, o Koluwa, licenciado em Economia, “um rapaz que tremia em palco e hoje é um dos bons”, o Bondoso, que “é o melhor humorista do Goza’qui votado pelo público, a Geovânia, a Renata e o maestro Orlando, todos licenciados”. De acordo com o líder do Goza’qui, “a nossa competição hoje não está no humor, mas no Ministério da Educação, queremos transparência”.

O humorista dá a conhecer que fez vários convites ao Ministério da Cultura para acompanhar os trabalhos do Goza’qui e uma vez receberam a visita de um director. Pelo facto de estar formado em Direito, Tiago Costa assume que “faz humor com base na legalidade dos factos”.

O humorista está noivo de Lurdes Cardoso e diz que não pensa ter filhos. Revela gostar de pessoas que não se sentem confortáveis com a instabilidade no país e afirma que aprecia ler e faz de tudo para não fazer nada. Mas vê-se financeiramente estável daqui a 10 anos. Não sabe cozinhar. Nos seus tempos livres, reitera, não gosta de fazer nada. E considera-se uma pessoa “agarrada” financeiramente.

in Jornal Angola

Siga-nos e deixa um:
fb-share-icon0
Tweet 5k
Pin Share20

Compartilhar:

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook0
Twitter
Visit Us
Follow Me
LINKEDIN
INSTAGRAM
error: Conteúdo protegido