França: Activistas angolanos manifestam no sábado contra violações dos Direitos Humanos
França: Activistas angolanos manifestam no sábado contra violações dos Direitos Humanos
manifranc

Um grupo de activistas angolanos, residentes em França, anunciou a realização de uma manifestação para o próximo dia 11 de Novembro, dia da Independência Nacional, na região de Auvergne Rhône Alpes, na cidade de Saint-Etienne.

A manifestação que terá lugar defronte ao Hotel de Ville, pelas 14h, tem como objectivo protestar contra as sucessivas violações dos direitos humanos em Angola e exigir a soltura dos presos políticos em Angola, nomeadamente: Tanaice Neutro, Adolfo Campos, Abrão Pensador, Gildo Das Ruas e a influenciadora digital Neth Nahara.

Os activistas exigem ainda a libertação de centenas cidadãos angolanos detidos pelas autoridades nas províncias de Cabinda, Lunda Norte e Lunda Sul, por exigirem melhorias de condições de vida e autonomia.

Timóteo Miranda, um dos organizadores da referida manifestação, ressalta que “a actividade vem reivindicar e exigir a reflexão de todos angolanos uma vez que neste dia se estará a comemorar os 48 anos de Independência Nacional em que contrariamente não reflecte realmente um estado livre de exercício dos direitos fundamentais à luz da Constituição”.

O mesmo alega que, em Angola, se tornou um hábito, por parte do Governo do MPLA, violar as leis em benefício da construção de um estado autocrático.

“Nos últimos anos se intensificaram as dissidências políticas, a Polícia Nacional tem feitos várias execuções extrajudiciais, o direito de se manifestar foram cerceados, o direito da criança é quase inexistente, os hospitais sem capacidades de dar resposta às demandas, entre outros factores são também bandeiras de protesto desta manifestação”, rematou.

De salientar que, na última segunda-feira, o Tribunal de Comarca da Caála, província do Huambo, condenou um cidadão, de 23 anos, a dois anos e oito meses de prisão por ultraje ao Presidente da República.

De acordo com as informações divulgadas pelo Ministério do Interior, no Facebook, a condenação decorreu na sequência de um vídeo amplamente divulgado pelo acusado, nas redes sociais, onde aparece proferindo palavras ofensivas à figura do Presidente João Lourenço e à sua família.

O implicado, julgado no processo sumário n.° 325/2023, é estudante, natural e residente no Longonjo.

Siga-nos e deixa um:
fb-share-icon0
Tweet 5k
Pin Share20

Compartilhar:

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook0
Twitter
Visit Us
Follow Me
LINKEDIN
INSTAGRAM
error: Conteúdo protegido