G7 pede cessar-fogo em Gaza para ajudar civis e libertar reféns
G7 pede cessar-fogo em Gaza para ajudar civis e libertar reféns
Israel e Pales

Os ministros dos Negócios Estrangeiros dos países industrializados que integram o G7 apelaram hoje a um cessar-fogo em Gaza para facilitar a libertação dos reféns detidos pelo grupo terrorista islamita Hamas e ajudar o povo palestiniano.

O anúncio foi feito pelo chefe da diplomacia italiana, António Tajani, em Munique, na Alemanha, sublinhando que o interesse de todos os países do G7 “é a protecção de todos os civis, especialmente mulheres e crianças”.

Os Estados Unidos, o Canadá, a França, o Reino Unido, a Alemanha, o Japão e a Itália, que detém a presidência rotativa, também mostraram hoje o seu empenho na Ucrânia, numa reunião dos seus ministros dos Negócios Estrangeiros, à margem da Conferência de Segurança, durante a qual foi feito um minuto de silêncio pelo líder da oposição russa, Alexei Navalni.

“Apelamos à suspensão imediata dos combates, tanto para garantir a libertação dos reféns israelitas” nas mãos do Hamas, “como para ajudar os civis palestinianos”, disse António Tajani.

A posição do G7 é a de “garantir a segurança do Estado de Israel” e está a trabalhar “no sentido de desanuviar” a situação no Médio Oriente, com o objectivo final de chegar a uma solução de “dois povos e dois Estados”.

“Estamos a trabalhar em conjunto com a União Europeia e o G7 numa solução” que “conduza ao reconhecimento mútuo da independência dos dois países, porque só assim a questão será resolvida. Não se trata apenas do conflito actual, mas de planear uma estratégia para o futuro”, afirmou o ministro italiano.

“É óbvio que alguém não quer” essa solução, mas “nós queremos a paz e o fim desta carnificina que levou à morte de milhares de civis”, sustentou.

António Tajani recordou algumas cenas traumáticas que lhe foram contadas por vítimas do ataque do Hamas de 7 de Outubro e afirmou que o grupo islamita é responsável pela morte de milhares de civis, mas defendeu que “chegou o momento” de olhar em frente, quando questionado sobre se a Itália tenciona reconhecer a Palestina.

O chefe da diplomacia italiana também explicou que o G7 “apoia o trabalho da Autoridade Nacional Palestiniana (ANP) e apela à sua reforma para que possa tornar-se um protagonista na vida de Gaza”.

Siga-nos e deixa um:
fb-share-icon0
Tweet 5k
Pin Share20

Compartilhar:

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook0
Twitter
Visit Us
Follow Me
LINKEDIN
INSTAGRAM
error: Conteúdo protegido