General Wala exige “fidelidade canina” aos militares
General Wala exige "fidelidade canina" aos militares
Wala

O chefe da Direcção de Instrução e Ensino do Exército, tenente-general Simão Carlitos Wala, apelou hoje, sábado, no Huambo, ao efectivo para elevar, cada vez mais, os níveis de exaltação dos valores cívicos e ético-militares, com foco na fidelidade à Pátria.

O oficial general falava no encerramento dos cursos de Actualização de Instrutores e Monitores e de Formação de Monitores de Armamento e Tiro de Infantaria, decorrido, nos últimos 45 dias, no Centro de Instrução de Tropas do Exército “Heróis de Kangamba”, localizado no município da Chicala-Cholohanga, província do Huambo.

Na ocasião, disse que o militar deve primar sempre por valores que conduzam condignamente as Forças Armadas Angolanas, fidelizando, deste modo, os bons exemplos e as boas influências doutrinárias.

Segundo o tenente-general Simão Carlitos Wala, o interesse da Nação acima de qualquer outro, o orgulho de ser angolano, o culto ao patriotismo e o civismo constituem exemplos de dedicação e fidelidade à Pátria, cuja honra, integridade e instruções serão defendidas, com o sacrifício da própria vida, conforme descreve o texto de Juramento de Bandeira da República.

Acrescentou que a interiorização dessas acções carecem de alguém que ensine, proporcione a aprendizagem e, acima de tudo, acredite e pratique fielmente a formação e fortalecimento de uma sociedade cívica, através dos jovens solados, pois “a ordem até convence, mas o exemplo arrasta”.

Por isso, afirmou que o instrutor militar tem a incumbência de reflectir a sua imagem no espelho da vida do instruendo, quanto as manifestações essenciais dos valores castrenses representados pelo patriotismo, civismo, fé na missão, espírito de corpo, amor à Pátria e aprimoramento técnico-profissional durante a sua convivência.

Sobre o curso, o tenente-general Simão Carlitos Wala afirmou que a instrução de armamento e tiro de infantaria pode ser analisada num prisma teórico e prático da formação, em que se procura a transmissão de conhecimentos, preceitos técnicos e tácticos.

“A execução de tiro pode entendida num ponto de vista mais específico, eminentemente prático, em que se procura a consolidação teórica e o melhoramento dos procedimentos técnicos”, salientou.

Referiu que os resultados menos positivos verificados na preparação dos novos soldados oriundos dos Centros de Instrução de Tropas constituem uma preocupação clara do Comando do Exército nesta vertente e, por tal razão, o comandante do ramo exarou o Despacho n.º 00767, onde determinou a realização dos cursos de Actualização de Instrutores e Monitores e o de Formação de Monitores de Armamento e Tiro de Artilharia.

O curso, de acordo com oficial general, pretendeu formatar um padrão com características de procedimentos dinâmicos, apresentando uma didáctica voltada a instrução do armamento e tiro de infantaria, na perspectiva de promover a capacitação/habilitação ao instrutor e monitor desta especialidade castrense na docência, de forma estratégica e pedagógica.

O evento, que teve a integração do Estandarte Nacional um outro momento importante, ficou marcado com exercícios práticos e uma aula teórica demonstrativa do curso, para além da entrega de menções honrosas aos mais destacados, incluindo para a Administração do município da Chicala-Cholohanga e ao Comando local da Polícia Nacional, pelo apoio institucional ao Centro de Instrução de Soldados do Exército “Heróis de Kangamba”.

in Angop

Siga-nos e deixa um:
fb-share-icon0
Tweet 5k
Pin Share20

Compartilhar:

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook0
Twitter
Visit Us
Follow Me
LINKEDIN
INSTAGRAM
error: Conteúdo protegido