Huíla: Detidos suspeitos da morte de sete kupapatas
Huíla: Detidos suspeitos da morte de sete kupapatas
baloteli

O Serviço de Investigação Criminal na Huíla, em coordenação operativa com a Polícia Nacional e o Serviço Penitenciário, deteve, em flagrante delito, dois cidadãos nacionais, de 20 e 29 de idade, supostamente envolvidos na morte de sete moto-taxistas.

São identificados por Joaquim Tchimbungo Ambrósio, mais conhecido por “Balloteli”, e Fernando Wandalica “Dinho”, que teriam morto os kupapatas para a apropriarem-se das suas motos.

A detenção ocorreu mediante uma denúncia anónima, em flagrante, no momento em que pretendiam vender um dos meios, no bairro Bula Matady.

Após uma “investigação profunda”, conforme o porta-voz do SIC-Huíla, inspector Segunda Quitumba, descobriu-se que Balloteli “está directamente envolvido na morte de sete moto-taxistas”, actos concorrido com o roubo qualificado de igual número de motorizadas.

Os crimes, disse o oficial, ocorreram entre Março a Agosto deste ano, nos Bairros Nambambi, Kwawa, Tchituno, Tchimucua e Bula Matady, no município do Lubango, província da Huíla.

Segunda Quitumba assinalou que os suspeitos já foram presentes a um juiz de garantias que definiu a medida de coação pessoal mais gravosa, a prisão preventiva, todavia o SIC despoletou um conjunto de acções de sequência investigativa, que durou três semanas e apurou que Balloteli e mais dois comparsas, identificados por “Manucho” e “Paizinho”, ainda em fuga, protagonizaram os crimes.

Ressaltar que Balloteli é um criminoso habitual e conhecido da Polícia, tendo sido detido e condenado por três vezes nas penas de dois, três e cinco anos de prisão, coincidentemente por furto de motorizadas, nos nos estabelecimentos Penitenciários do Lubango e Bentiaba (Namibe), nos anos de 2012 a 2014, 2014 a 2017 e 2018 a 2023.

“Os crimes ocorreram, principalmente, nos horários das cinco, 19 e 22 horas, sendo que os moto-taxistas foram abordados no exercício da actividade, nas paragens do Bate-chapa, Muntundo, rotunda do João de Almeida, controlo do Nambambi e seguiam para rotas muito curtas, aliciados por propostas altas de dois mil a seis mil kwanzas por corrida, transportando dois passageiros”, frisou.

O porta-voz do SIC sublinhou que esses criminosos praticavam os seus actos utilizando corto-perfurantes e instrumentos contundentes para atacar as vítimas, como facas de cozinha e fragmentos de rochas. As vítimas são cidadãos de 23, 26, 32, 34, 42, 50 e 53 anos de idade.

A fonte explicou, ainda, que a preferência dos suspeitos recaía para motorizadas da marca Apollo e foram todas vendidas no mercado paralelo da Alemanha, no município de Caluquembe, ao preço de 250 mil kwanzas.

O furto de motorizadas com recurso à violência tem tirado o sono aos moto-taxistas, sobretudo aquelas que trabalham em horas “mortas”, tendo nos últimos ano vitimado 13 profissionais da área.

in Angop

Siga-nos e deixa um:
fb-share-icon0
Tweet 5k
Pin Share20

Compartilhar:

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook0
Twitter
Visit Us
Follow Me
LINKEDIN
INSTAGRAM
error: Conteúdo protegido