Intolerância política: UNITA denuncia a cumplicidade do Governo e da polícia
Intolerância política: UNITA denuncia a cumplicidade do Governo e da polícia
GPCC

Face ao acto de intolerância política desencadeado ocorrido hoje, sexta-feira, 12 de Abril, no troço Longa-Cuito Cuanavale, província do Cuando Cubango, pelos militantes do MPLA, e que resultou supostamente na morte de um dos integrantes da caravana onde seguia os deputados da Assembleia Nacional, o Grupo Parlamentar da UNITA aponta o dedo acusador ao Governo local e a Polícia Nacional.

Na nota de imprensa enviada à redacção do Imparcial Press, o Grupo Parlamentar da UNITA condenou energicamente a postura de cumplicidade do Governo Provincial do Cuando Cubango e da Polícia Nacional local que “instados a garantir segurança à delegação, nos termos da lei, não o fizeram”.

Vide na íntegra o documento:

NOTA DE IMPRENSA

O Grupo Parlamentar da UNITA (GPU) informa a opinião pública nacional e internacional que uma Delegação do GPU – composta pelos Deputados João Muzaza Kaweza, David Kisadila, Jeremias Abílio e o assessor Maurílio Luiele, em deputação, no quadro das Jornadas Municipais na Província do Cuando Cubango – foi alvo de um ataque perpetrado por supostas milícias do Regime, pelas 10h15 desta sexta-feira, 12 de Abril de 2024, no troço Longa-Cuito Cuanavale, tendo atingido gravemente o cidadão João Ginga, membro do Secretariado Provincial da UNITA no Cuando Cubango, 2 (dois) cidadãos desaparecidos, 9 (nove) feridos, dos quais 4 (quatro) em estado grave e danos materiais em 8 (oito) das 9 (nove) viaturas da coluna dos Deputados.

O Grupo Parlamentar da UNITA informa que, no momento do ataque, os agressores gritavam “no Cuito Cuanavale só há entrada, não há saída para a UNITA!”, numa autêntica demostração de intolerância política, empunhando armas de fogo, paus e catanas, e arremessando pedras aos membros da Delegação de Deputados.

O Grupo Parlamentar da UNITA condena a postura de cumplicidade do Governo Provincial do Cuando Cubango e da Polícia Nacional local que, instados a garantir segurança à Delegação, nos termos da lei, não o fizeram.

Numa altura em que Angola acaba de assinalar 22 anos do calar das armas, o Grupo Parlamentar da UNITA condena veementemente tais actos de terror, ódio, fundamentalismo partidário e intolerância política, pelo que insta Sua Excelência Presidente da República a assumir as suas responsabilidades de defesa da vida, dos direitos, liberdades e garantias fundamentais de todos os cidadãos.

O Grupo Parlamentar da UNITA insta, igualmente, o Sr. Presidente do MPLA a orientar as suas estruturas para adesão plena ao espírito dos acordos de paz, tolerância e reconciliação nacional genuína.

O Grupo Parlamentar da UNITA exorta as autoridades competentes a instaurar o competente inquérito e a responsabilizar os culpados desse acto criminoso que ceifa a vida de um cidadão angolano engajado na consolidação do Estado Democrático de Direito e cuja culpa é pertencer a um partido político que não o do regime.

Luanda, 12 de Abril de 2024

O Grupo Parlamentar da UNITA

Siga-nos e deixa um:
fb-share-icon0
Tweet 5k
Pin Share20

Compartilhar:

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook0
Twitter
Visit Us
Follow Me
LINKEDIN
INSTAGRAM
error: Conteúdo protegido