Luanda: Cidadão suicida-se por reprovar no concurso público de Educação
Luanda: Cidadão suicida-se por reprovar no concurso público de Educação
morga

Resultados finais do Concurso Público de Ingresso ao Sector da Educação 2023/2024 divulgados na passada sexta-feira, 05 de Janeiro, em quase toda a extensão do território nacional, faz um morto e deixa vários jovens/concorrentes doentes, soube o Imparcial Press.

Um cidadão, de 27 anos, por exemplo, decidiu alegadamente tirar a própria vida ao encontrar o seu nome chumbado/não admitido com a nota de 11.75 valores, na especialidade de Ensino Primário, no município de Viana, província de Luanda.

O Imparcial Press apurou – através do grupo “CONCURSO PÚBLICO DA EDUCAÇÃO 2023/2024, no Facebook – que o malogrado, que agora deixa viúva e dois filhos, no bairro Caop C, em Viana, terá, junto da família e amigos, se entusiasmado com a nota de 11.75 valores encontrado na lista provisória divulgada nos dias 28 a 29 de Novembro do ano transato.
.
“(…) o jovem quando se deparou, na lista provisória, com o seu resultado de 11.75 valores, deu uma grande festa para comemorar a sua vitória, achando que era suficiente para a sua entrada no Ministério da Educação, com isso o jovem contraiu uma série de dívidas com o intuito de pagar assim que fosse enquadrado na Educação. Mas, infelizmente, no dia 5 de deste mês, saiu as listas definitivas e o jovem não foi admitido, tendo este decidido colocar fim à sua própria vida”, contou.

Não obstante ao triste episódio, Armando Manuel e Josefa Caetano, ambos concorrentes no município de Nambuangongo, província do Bengo, na Especialidade de Filosofia, defenderam, na ocasião, terem sido injustiçados pelo corpo de jurado ao encontrarem seus respectivos nomes com a classificação de NÃO ADMITIDOS, na lista definitiva, mesmo com notas positivas, de 12 e 14 valores.

“Estamos doentes com essa nojenta classificação do MED, pois não possível decretar reprovação a candidatos cujas notas ultrapassam o valor mínimo exigido. Que país queremos afinal? Se o país carece, segundo a titular da pasta, de mais de 50 mil professores, por que não se prioriza os candidatos com notas positivas? É assim que queremos fazer história com a educação, ignorando e menosprezando quadros? Sinceramente, o país está doebte!”, desafabaram.

António Estêvão, residente em Luanda e concorrente à Especialidade de Língua portuguesa, no município de Talatona, que mais do que criticar os critérios de selecção, entretanto apelou à ministra da Educação com as seguintes palavras:

“Senhora ministra da Educação, Luísa Grilo, por favor, você é mãe, não fica bem olhar uma situação dessa como se nada estivesse a acontecer. Tenha piedade e misericórdia de todos reclamantes, pois não é normal reprovar com positivas tão elevadas como essas que houve. Faça como a tia Lutukuta, aplicando uma segunda chamada para se preencher as vagas em faltas. Eu, por exemplo, senhora ministra, tive 15 valores, mas ainda assim não fui admitido. Estou doente aqui onde me encontro. Por favor, mãe Luisa, não procure manchar sua boa imagem e a do PR com uma situação dessa, lhe peço em nome de todos positivistas”, apelou.

De lembrar que amanhã, segunda-feira, 08, de acordo com o calendário do concurso, é o período em que os candidatos apurados começam a trabalhar para completar o processo.

Siga-nos e deixa um:
fb-share-icon0
Tweet 5k
Pin Share20

Compartilhar:

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook0
Twitter
Visit Us
Follow Me
LINKEDIN
INSTAGRAM
error: Conteúdo protegido