Luanda: Médicos preocupados com o aumento de síndrome febril e casos de paludismo
Luanda: Médicos preocupados com o aumento de síndrome febril e casos de paludismo
saude

O aumento do número de doentes, que dão entrada na maioria dos hospitais da província de Luanda, com malária em estado avançado e com síndrome febril está a preocupar as equipas médicas.

Na semana finda, especialistas dos hospitais de Luanda, entre os quais os do Geral, Cajueiros, Augusto Ngangula, Kilamba Kiaxi, Cacuaco e do Cazenga, destacaram que dos mais de 22 mil pacientes atendidos, a maioria foi por malária.

O Hospital Geral de Luanda atendeu, na semana finda, um total de 7.899 pacientes, com diversas patologias, com realce para 714 com malária, informou, ontem, o director clínico da instituição. O médico Magalhães Sobrinho adiantou que o aumento dos casos de malária continua a preocupar as equipas médicas e, por isso, apela às famílias para redobrarem as medidas de prevenção.

Além da malária, outra preocupação, que também carece de atenção, disse o médico, é a síndrome febril, com um registo de 495 casos, em sete dias. “As doenças respiratórias agudas, com 271, hipertensão, 158, e as diarreicas agudas, com 86 casos, também estão entre as preocupações”.

O hospital, continuou, atendeu, igualmente, 851 pacientes com traumas. “As quedas continuam a liderar os casos de trauma, com 339 vítimas, seguida dos acidentes de viação, com 178”.

Casos em Cacuaco

No Hospital Municipal de Cacuaco, a maior preocupação é a relacionada aos pacientes com malária, que foram 460 casos só na semana passada, disse a directora Anizeth Cutatela.

A médica disse que outra situação preocupante foram os 79 pacientes que deram entrada em consequência de acidentes de viação.

De um total de 3.940 utentes atendidos, explicou, 2.641 foram nas consultas externas e 1.299 nos bancos de urgência. “A síndrome gripal, com 54 casos, as doenças diarreias agudas com 51, hipertensão com 41e as respiratórias agudas com 29 ocorrências foram os registos da instituição na semana”, referiu.

Paludismo nos Cajueiros

No Hospital Geral dos Cajueiros, o cenário não foi diferente quanto ao número elevado de casos de malária. Segundo o director clínico, tiveram, numa semana, o registo de 943 pacientes com essa patologia.

O médico Bernardo Teixeira avançou que o hospital continua a apelar às famílias a prevenirem-se das picadas dos mosquitos e a combater os charcos de água parada.

A síndrome gripal, alertou, também preocupa as equipas médicas, que tiveram um registo de 526 casos da doença. “O hospital recebeu 127 pacientes vítimas de acidentes de viação”.

Acidentes no Cazenga

Um total de 141 pacientes, vítimas de acidentes de viação, deu entrada, na semana finda, no Hospital Municipal do Cazenga, informou, a directora Nilsa de Sousa.

A médica salientou que o hospital atendeu no banco de urgência 240 casos pediátricos, 328 de medicina e realizou 161 cirurgias. “Interviemos ainda em 164 casos na área da maternidade”. Por outro lado, nas consultas externas foram atendidos na área pediátrica 305 casos e 247 adultos.

Urgências no Kilamba Kiaxi

O banco de urgência do Hospital Geral Especializado do Kilamba Kiaxi atendeu, na área pediátrica, 598 crianças, assim como 594 mulheres na ala da maternidade, disse, ontem, a directora clínica.

Rosa André informou que n maternidade foram realizados 206 partos, dos quais 40 acabaram em aborto e 20 foram por cesariana. “Felizmente não tivemos registo de nenhuma morte durante a semana”, disse, acrescentando que devido a algumas complicações patológicas, tiveram de internar 219 mulheres.

Na área da maternidade, continuou, tiveram como principais preocupações 12 mulheres grávidas com malária e 10 com pré-eclâmpsia.

Partos no Ngangula

Um total de 207 mulheres deu à luz, durante a semana passada, no Hospital Geral Especializado Augusto Ngangula, avançou a directora clínica da instituição.

A médica Kinfumu Balazao mostrou-se, porém, preocupada com o facto de 127 gestantes terem sido submetidas a cesariana durante o parto. “Muitas mulheres continuam a desenvolver a pré-eclâmpsia e outras doenças durante a gestação, por isso o processo tem sido difícil”, lamentou.

O serviço ambulatório atendeu 1.086 casos, enquanto no banco de urgência foram assistidos 719 pacientes.

Emergências Médicas socorreram 418 cidadãos

O Instituto Nacional de Emergências Médicas de Angola (INEMA) socorreu, na semana passada, um total de 418 indivíduos, informou, ontem, o director da instituição.

Azevedo Ekumba realçou que a equipa interveio em 123 casos de traumas, resultantes de acidentes de viação e quedas. “Tivemos, também, o registo de 215 cidadãos com problemas clínicos, ajudamos 34 crianças, assim como realizámos 135 transferências inter-hospitalares e 10 provinciais”, destacou o director da instituição.

O INEMA, explicou, recebeu 536 chamadas telefónicas, das quais 61 eram falsas. “Continuamos a apelar às pessoas para não usarem os terminais como meio de brincadeira, porque pode colocar em risco a vida de quem realmente precisa”, aconselhou.

Queimaduras em crianças agitam banco de urgência do Neves Bendinha

O banco de urgência do Hospital Geral Especializado Neves Bendinha socorreu, no final de semana, 19 crianças com casos de queimadura, num total de 24 pacientes assistidos, disse o responsável da área de Comunicação e Marketing.

Alberto Luzembo avançou que entre as principais causas de queimaduras, as provocadas por líquidos quentes lideram, com 19 casos, seguido dos acidentes por fogo, com dois, e igual número por gás butano.

“Lamentamos a infelicidade de três pacientes”, disse, acrescentando que no serviço ambulatório foram atendidos 198 pacientes.

Aos pais, apelou para redobrarem a atenção com as crianças ao manusear objectos que perigam a vida destes e a terem mais cuidado durante esta fase de férias lectivas, em que passam mais tempo em casa.

Malária continua a preocupar nas urgências do Zango II

As equipas médicas do Hospital Municipal do Zango II assistiram, no final de semana, 203 crianças com malária, num total de 566 casos registados no banco de urgência.

O número elevado de doentes com malária, em especial crianças, continua a preocupar o corpo clínico da unidade sanitária, informou, ontem, a directora-geral da instituição.

Elsa Ambrósio explicou, ainda, que em clínica geral foram assistidas 198 utentes, maternidade 139 mulheres, entre as quais foram realizados 55 partos.

Além destes casos, adiantou, o hospital socorreu 18 vítimas de acidentes de viação e 18 de agressão física. Nas consultas externas, referiu, foram assistidos 82 utentes, dos quais 33 em Fisioterapia, 27 em Psicologia e 16 em Hemoterapia.

in JA

Siga-nos e deixa um:
fb-share-icon0
Tweet 5k
Pin Share20

Compartilhar:

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook0
Twitter
Visit Us
Follow Me
LINKEDIN
INSTAGRAM
error: Conteúdo protegido