Lunda Norte: Governadora denuncia transmissão dolosa do VIH/SIDA
Lunda Norte: Governadora denuncia transmissão dolosa do VIH/SIDA
Deolinda Satula

A governadora provincial da Lunda-Norte, Deolinda Satula Vilarinho, disse hoje, segunda-feira, 10, estar preocupada com o índice de transmissão dolosa do VIH/SIDA, cujas vítimas são maioritariamente adolescentes e jovens, um facto que coloca a província entre as quatro com maior número de portadores do vírus.

No encontro com o Instituto Nacional de Luta contra o VIH/SIDA e a Organização Mundial da Saúde, a governadora denunciou que muitos adultos têm estado a transmitir de forma dolosa o vírus a adolescentes e jovens, um facto cuja responsabilização depende muito da cultura de denúncia por parte das vítimas.

Por isso, apelou às famílias no sentido de denunciarem casos do género, para que os prevaricadores sejam responsabilizados civil e criminalmente.

“Há adultos que sabem que são portadores do vírus, mas se envolvem com adolescentes sem o mínimo de prevenção, transmitindo de forma dolosa o vírus e não são responsabilizados porque não são denunciados”, frisou.

Apelou às organizações filantrópicas, igrejas e as autoridades tradicionais a ajudarem o Governo na disseminação de informações sobre as formas de transmissão e tratamento do vírus, bem como a divulgação do da Lei que penaliza a infecção dolosa.

Na Lunda-Norte com cerca de 7 por cento das 310 mil pessoas a viverem com o vírus no país, 50% dos doentes que vão aos tratamentos são adultos.

Os dados do último inquérito, realizado em 2023, revela que “as crianças na província da Lunda-Norte estão a contribuir muito para novas infecções do VIH” e 65% por cento de jovens dos 15 aos 24 anos de idade, portadores do vírus, estão naquela circunscrição do país (Lunda-Norte). A incidência de novos casos em crianças na Lunda-Norte é de 0.6 por cento.

O município do Lucapa está entre os dez municípios do país com maior incidência entre adolescentes e jovens e o Chitato comporta maior prevalência em mulheres gestantes.

Mais de 120 crianças de mãe seropositiva em tratamento no Huambo

Outrossim, cerca de 128 crianças que nasceram de mãe seropositiva na província do Huambo se encontra em tratamento de prevenção num período de 18 meses, em várias unidades hospitalares, para evitar a transmissão do VIH/SIDA.

A informação foi avançada pelo responsável pela Estatística do Programa de Combate ao VIH/SIDA no Huambo, Inocêncio Sangueve, tendo afirmado que as crianças expostas neste período não podem ser testadas, porque nascem com a imunidade das células de defesa da mãe.

Disse que, nesta fase, apenas beneficiam de tratamento profilático para o corte de transmissão de mãe/filho, mas depois de 18 meses pode ser testado, para se saber o seu estado serológico, porque muitas podem contrair o vírus durante a fase da amamentação.

Informou que as unidades hospitalares da província do Huambo assistem anualmente, em média, mil 456 pessoas seropositivas, que beneficiam de tratamento com Antirretrovirais.

Sem relevar o número de óbitos, adiantou que a província tem uma taxa de prevalência de um por cento, dados do último estudo realizados pelo Instituto Nacional de Estatística, sendo que, nos últimos quatro anos, foram assistidos 12 mil 743 seropositivos.

Disse que as autoridades sanitárias da província do Huambo e o Instituto Nacional de Luta Contra o Sida têm apostado em acções que visam a prevenção e tratamento da doença em todas as unidades hospitalares.

Siga-nos

Compartilhar:

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Twitter
Visit Us
Follow Me
LINKEDIN
INSTAGRAM
error: Conteúdo protegido