Ministra da Saúde exonera directora clínica da Maternidade Lucrécia Paím
Ministra da Saúde exonera directora clínica da Maternidade Lucrécia Paím
maternidade lucrecia

A ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, exonerou a directora clínica da Maternidade Lucrécia Paím, Luísa Kamala Ribeiro, onde, na semana passada, uma mulher foi rejeitada após ser transferida de outra unidade sanitária (Hospital de Kapalanga, em Viana). Logo depois, a ministra reuniu de emergência com vários directores gerais e clínicos dos grandes hospitais públicos.

“A medida surge na sequência de um acto de grave negligência médica, que teve lugar naquela unidade hospitalar, no passado dia 18 de Outubro, consubstanciado na rejeição de uma paciente grave que, felizmente, acabou sendo atendida no Hospital Materno-Infantil Dr. Pedro Manuel Azancot de Menezes”, lê-se no comunicado.

“Adicionalmente, foi instaurado um processo disciplinar aos membros da equipa de serviço envolvidos”, lê-se ainda no documento, onde o Ministério da Saúde “reitera a tolerância zero em relação aos actos de tratamento desumanizado de pacientes e outros utentes dos serviços das unidades sanitárias e demais Instituições a ele adstritas, tal como decretado recentemente aos 22 de Setembro de 2023”.

O Ministério da Saúde manifesta igualmente a sua determinação “na implementação das medidas necessárias que garantam às populações um tratamento digno, competente, ético e humanizado”.

De lembrar que a exoneração da directora clínica da MLP, a médica obstetra Luísa Ribeiro, resulta da denúncia feita nas redes sociais por um familiar da paciente que foi rejeitada na referida instituição.

No vídeo, ela conta que levou a sua irmã grávida ao centro de saúde “Ana Paula I”, no local foram bem recebida pela equipa médica, porém, por conta das fortes dores que a sua parente dizia sentir, foram orientados a fazer uma ecografia.

O centro não tem uma sala de ecografia, razão pela qual tiveram de procurar o local onde fazer, e depois de conseguirem foi-lhes passada uma guia de transferência para o hospital do Kapalanga. Daquela unidade foi transferida para a maternidade Lucrécia Paim, porque os técnicos de saúde alegaram que não tinha uma equipa médica a trabalhar.

Na MLP, a médica que lhes recebeu, as três horas da madrugada, mandou-lhes de volta sob a alegação de que o hospital do Kapalanga poderia resolver o caso por ser pequeno.

Depois de regressar na unidade sanitária do Kapalanga, ficou o período da manhã e, no período da tarde, recebeu alta e foi- lhe orientada a fazer uma outra ecografia. Actualmente, a paciente está no hospital materno-infantil “Azancot de Menezes”, onde foi assistida e recebeu a visita da ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta. Entretanto, o ministério da Saúde manifesta a sua determinação na implementação das medidas necessárias que garantam às populações um tratamento tratamento digno, competente, ético e humanizado.

Siga-nos e deixa um:
fb-share-icon0
Tweet 5k
Pin Share20

Compartilhar:

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook0
Twitter
Visit Us
Follow Me
LINKEDIN
INSTAGRAM
error: Conteúdo protegido