Moxico regista circulação de conjuntivite hemorrágica
Moxico regista circulação de conjuntivite hemorrágica
conjuntiv

Pelos menos, oito primeiros casos de conjuntivite hemorrágica foram notificados, nas últimas 24 horas, na província do Moxico, confirmou, esta sexta-feira, o chefe de departamento da saúde pública, Fernando Decasse.

Conforme o responsável, são casos notificados nos municípios do Moxico (sede) e Camanongue, em pessoas adultas, maioritariamente provenientes da capital do país (Luanda).

As autoridades sanitárias, disse, continuam a investigar mais casos, por haver receio da existência de mais pessoas afectadas pela doença nas comunidades.

Informou que as pessoas infectadas até ao momento estão a realizar tratamento em domicílios.

Apelou à população, na eventualidade de qualquer sinal da doença, que passa por olhos avermelhados e inflamados, sensação de areia e sensibilidade anormal à luz, deve-se manter o paciente isolado e procurar serviços de saúde, com maior emergência, bem como primar pela higienização, principalmente das mãos.

MINSA desaconselha tratamento caseiro da doença

A ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, advertiu, recentemente, às famílias a evitar o tratamento caseiro da conjuntivite hemorrágica sob pena de agravamento das complicações decorrentes da doença.

Segundo Sílvia Lutucuta, que trabalhou na província do Cuanza-Norte, as unidades sanitárias de Luanda têm estado a registar pacientes com complicações muito graves por utilização de medicamentos caseiros como a urina, sabão e outros, que irritam a vista e com isso agravar a situação do doente.

A dirigente indicou que existem medidas simples de protecção individual e colectiva para prevenir e para pessoas já afectadas pela conjuntivite, como a lavagem frequente das mãos e evitar o contacto com os olhos.

Sílvia Lutucuta aconselhou as famílias a recorrerem às unidades sanitárias sempre que houver complicações com os olhos, para melhor orientação médica.

A conjuntivite, doença altamente contagiosa, pode ser de diversa ordem, sendo a mais comum a infecção provocada por alguns tipos de agentes patogénicos, sobretudo bactérias, podendo também ser vírus e fungos.

Também pode ser causada por agentes químicos e físicos de ordem diversa, como corpos estranhos, calor intenso, gases irritantes, raios ultravioleta, fumos, entre outros.

Siga-nos

Compartilhar:

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Twitter
Visit Us
Follow Me
LINKEDIN
INSTAGRAM
error: Conteúdo protegido