Olinda Simeão arrebata prémio do festival canção de Luanda
Olinda Simeão arrebata prémio do festival canção de Luanda
Lac

A concorrente Olinda Simeão arrebatou, na noite de sexta-feira, o grande prémio da canção Sonangol da 26ª edição do Festival Canção de Luanda e de melhor letra musical.

Com a canção “Sem você por cá”, Olinda Simeão recebeu de prémios três milhões e 500 mil kwanzas, sendo três milhões pelo grande prémio e quinhentos mil pela melhor letra, dois troféus e diplomas de participação.

A gala de premiação aconteceu no pátio da Luanda Antena Comercial (LAC). Iniciou as 21h, com o tema do festival em dança e actuação de Zinga Sona.

Consagrou o concorrente CC como segundo melhor da noite, ao vencer com a canção “Manami” os prémios de produção e voz, tendo recebido 500 mil kwanzas por cada categoria, dois troféus e diplomas.

O evento, que decorreu sob o lema ” O ambiente em sintonia”, distinguiu na categoria de LAC Auditores a autora Lucénia Gomes, com a música “Sakidila mamã África”, e como melhor intérprete Tomás Baltazar, que receberam quinhentos mil kwanzas, troféus e diplomas.

Para retirar um pouco da tensão dos concorrentes em saber do resultado, subiu ao palco Toty Sa’Med que, em uma hora, tocou músicas passadas pelas rádios em diferentes épocas.

Toty Sa’Med interpretou “Tico tico”, “La vie en rose”, “Quizas quizás”, “Zouk la se selmedi kaman”, “Olhos café”, “desejo malandro”, “Dilolenu”, “Paga que paga”, “Hoola hoope”, “Bailundu”, “Maldita”, “ndengue”, entre outras.

Sobre a premiação, Olinda Simeão disse estar feliz pelos dois prémios, tendo revelado a existência de músicas de sua autoria em plataforma digitais, “que pensa alavancar para outro nível de produção musical”.

Já CC, que agradeceu a Deu, referiu ter feito antes seis tentativas consecutivas para estar no concurso.

Explicou que contava apenas sair com diploma de participação, mas que “felizmente sagrou-se segundo melhor da noite”.

Narrou ter recebido duas propostas para investimento em seu disco.

O cenário da gala foi apropriado para homenagear o meio ambiente nacional, com destaque para aspectos ligados à vida selvagem.

Foi de igual modo rendido um tributo aos fazedores do festival por, desde 1992, ter despertado a criatividade dos participantes em palco e na criação das canções.

As canções concorrentes retrataram aspectos ligados ao meio ambiente, para ajudar a consolidar a ideia de que se deve cuidar do que “nos rodeia, para recebermos de volta um ambiente mais saudável”.

O festival da LAC tem como objectivo incentivar a criação e o aprofundamento das aptidões musicais dos compositores, assim como ajudar a alcançar ou a consolidar as carreiras de muitos jovens artistas.

A rapsódia, nesta edição, proporcionou aos presentes temas dos artistas I am strong, Michael Jackson, Angélique Kidjo, Lulas da Paixão, Robertos Carlos, Carlos Lamartine, Zezé di Camargo e Luciano, Eduardo Paim e Yannick Afroman.

O guitarrista e compositor Carlos Praia foi o vencedor da edição 2022, com a composição “Caçula”, uma letra do poeta e jornalista Carlos Ferreira “Cassé”, defendida pela jovem Zinga Sona, que também levou para casa o prémio relativo à “Melhor Voz”.

O Festival da Canção de Luanda surgiu seis anos após a criação da primeira rádio privada do país, a Luanda Antena Comercial (LAC), a 25 de Setembro de 1992, na fase da abertura democrática em Angola.

Maria Luísa Fançony, Mateus Gonçalves e José Rodrigues – o trio que encabeça a LAC – como resultado das experiências adquiridas na Rádio Nacional de Angola (RNA) em concursos e eventos musicais, lançaram em 1998 a festa setembrina da música.

in Angop

Siga-nos e deixa um:
fb-share-icon0
Tweet 5k
Pin Share20

Compartilhar:

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook0
Twitter
Visit Us
Follow Me
LINKEDIN
INSTAGRAM
error: Conteúdo protegido