Presidência da República “mima” Silvestre Tulumba
Presidência da República "mima" Silvestre Tulumba
Tulumba

Já favorecidas pelo governo anterior, algumas famílias politicamente bem ligadas aumentaram muito o seu volume de negócios sob a actual presidência de João Lourenço. O clã de Silvestre Tulumba Kapose, actuante em vários sectores, é um bom exemplo disso.

Silvestre Tulumba Kapose é provavelmente um dos empresários que mais beneficiou da Presidência de João Lourenço. Segundo apurado, desde que João Lourenço foi eleito pela primeira vez em 2017, conseguiu uma série de contratos públicos por meio de sua empresa Silvestre Tulumba Investimentos (STI) e as suas subsidiárias.

O político de 41 anos é ex-membro do Comité Central do MPLA, e continua próximo de várias figuras próximas ao regime.

De acordo com o Africa Intelligence, o empresário originário da província da Huíla põe o seu avião particular à disposição de alguns membros do governo.

A fonte avança ainda que Tulumba é um intermediário privilegiado para a venda de viaturas ao Tribunal Supremo e à Assembleia Nacional, através das suas empresas Coreauto e Dalp, esta última propriedade do seu irmão mais novo, Felix Ramalhete Tyihongo Kapose.

Em setembro de 2021, assinou um contrato de cinco anos com o Tribunal Supremo para o fornecimento de 629 veículos no valor de cerca de 34 biliões de kwanzas. As compras foram feitas por meio do banco de Tulumba, o BCS (Banco de Crédito do Sul), que fundou em 2015 com outro dos seus irmãos, Rafael Arcanjo Kapose, presidente-executivo do referido banco.

A presidente não executiva do BCS é a ex-vice-governadora do Banco Nacional de Angola, Cristina Florência Dias Van-Dúnem. Tulumba foi um dos empresários que ganhou destaque na era do malogrado ex-Presidente José Eduardo dos Santos). Nesta época, o empresário já tinha ensacado contratos no valor de centenas de milhões de dólares.

Ele assinou um contrato de infra-estrutura de 212,6 milhões de dólares no Lubango, na província de Huíla, em Julho de 2017, por meio de um consórcio entre sua empresa IMOSUL e a construtora Omatapalo.

Em 2014, no regime de JES, ganhou um contrato no valor de 13,5 mil milhões de kwanzas (137,7 milhões de dólares) para a reabilitação de estradas nas províncias do Bié, Huíla e Huambo.

Em 2011, o governo angolano concedeu à Tulumba Kaposa um primeiro grande contrato no valor de 14,3 milhões de dólares para fornecer aos municípios e províncias 120 veículos com tracção e 205 pic-ups.

in Africa Intelligence

Siga-nos

Compartilhar:

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Twitter
Visit Us
Follow Me
LINKEDIN
INSTAGRAM
error: Conteúdo protegido