Residência do antigo responsável do Serviço de Inteligência Externa invadida
Residência do antigo responsável do Serviço de Inteligência Externa invadida
gilberto verissimo

O Governo de Angola convocou na sexta-feira, 19, o encarregado de Negócios da Embaixada da República do Gabão no país, Wilfrid Ndundji Mundungue, para pedir explicações sobre a vandalização da residência, em Libreville, do diplomata angolano Gilberto da Piedade Veríssimo, presidente da Comissão da Comunidade Económica dos Estados da África Central (CEEAC).

De acordo com uma nota de imprensa do Ministério das Relações Exteriores (MIREX), Angola foi notificada quinta-feira sobre uma invasão, por homens armados (alguns fardados com uniformes das Forças Armadas do Gabão), da moradia oficial do antigo director geral-adjunto do Serviço de Inteligência Externa (SIE).

Relatos oficiais apontam que os invasores molestaram psicologicamente o embaixador Gilberto Veríssimo e a sua assistente, que se encontrava no interior da residência.

Em face deste grave incidente diplomático, a secretária de Estado para as Relações Exteriores, Esmeralda Mendonça, em representação do ministro das Relações Exteriores, Téte António, repudiou veementemente o ocorrido e exigiu das autoridades gabonesas explicações plausíveis sobre as reais motivações e propósito contra autoridades angolanas.

Esmeralda Mendonça manifestou profundo desagrado pelo sucedido e apelou, por via do encarregado de Negócios, para a tomada de medidas severas contra os autores do acto, que pôs em causa a segurança e a integridade física do diplomata angolano, no exercício do seu legítimo mandato estatutário naquele país.

Em 30 de Agosto de 2023, o Governo gabonês sofreu um golpe de Estado liderado por militares, que depôs o presidente reeleito Ali Bongo.

Recentemente, a 5ª Sessão Extraordinária da Cimeira de Chefes de Estado e de Governo da CEEAC, no quadro do Conselho para a Paz e Segurança em África (COPAX), instou expressamente as novas autoridades a continuarem a garantir condições de segurança ao presidente, aos membros da Comissão e a todo o seu pessoal.

O comunicado final da 5ª Sessão Extraordinária da Cimeira de Chefes de Estado e de Governo da CEEAC, no quadro do Conselho para a Paz e Segurança em África (COPAX), instou expressamente o Govemo da República Gabonesa a continuar a garantir condições de segurança ao presidente, aos membros da Comissão e a todo o seu pessoal.

Nos termos da Convenção de Viena sobre as Relações Diplomáticas, de 18 de Abril de 1961, do Tratado da Comunidade revisto, de 18 de Dezembro de 2019, da Convenção sobre os Privilégios e imunidades Diplomáticas da CEEAC, de 28 de Agosto de 1987, do Acordo de Sede entre a CEEAC e o Governo da República Gabonesa, de 12 de Janeiro de 1986, bem como de outras convenções e textos jurídicos pertinentes, os funcionários da Comunidade e as suas residências oficiais e privadas beneficiam de privilégios e imunidades.

Siga-nos e deixa um:
fb-share-icon0
Tweet 5k
Pin Share20

Compartilhar:

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook0
Twitter
Visit Us
Follow Me
LINKEDIN
INSTAGRAM
error: Conteúdo protegido