Seguro funerário e a cultura bantu – Carlos Veiga
Seguro funerário e a cultura bantu – Carlos Veiga
Carlos veiga

Na verdade, a incursão pelo seguro funerário e a cultura bantu, sobretudo, na sua perspectiva de convergência representa um bom construcionismo académico, todavia, uma matéria, para nós, quase que um ex nova.

Porquanto, gostávamos de ver ampliada e prosseguida toda todo o doutrinário em torno da realidade antropológico-bantu referida, sendo de que os autos da cultura refere que, numa primeira dimensão, o afro-bantu convive com o morto, com ele se comunica mesmo depois da sua funeração através do diálogo espiritual.

Portanto, mister é ver sobre que antropologia filosófico-bantu se está a escalpelizar. Vamos reflectir passo a passo sobre a matéria.

Ora, falar do seguro é uma realidade com cânones jus-ocidentais que para aglutinar à realidade jus-filosófico-bantu ou ao ethos local, precisa ser muito bem visto. No entanto, tentamos desmultiplicar ou desconstruir todo enunciado trazido à liça.

Mas fica uma elevada consideração, apreço e vénia ao labor em sede do Direito Consuetudinário elaborado pelo solícito Dr. Paulo de Carvalho, jurista e consultor.

Dixit

*Jornalista e jurista

Siga-nos e deixa um:
fb-share-icon0
Tweet 5k
Pin Share20

Compartilhar:

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook0
Twitter
Visit Us
Follow Me
LINKEDIN
INSTAGRAM
error: Conteúdo protegido