Anormalidade do estado de Angola com o MPLA – Kamalata Numa
Anormalidade do estado de Angola com o MPLA - Kamalata Numa
numa

Não sou adepto do Futebol Clube do Porto mas, acompanhei de perto como André Vilas Boas foi ostracizado pela direcção de Pinto da Costa e com os super dragões assumirem papel pretoriano de carrascos.

Acompanhei a intervenção da polícia pública portuguesa com a prisão de elementos dos Super Dragões, incluindo o seu chefe e esposa.

Hoje, André Vilas Boas é o actual presidente do Futebol Clube do Porto. Isto, é que é um Estado de Direito Democrático ao serviço do povo.

Onde anda Angola? Quo vadis Angola nossa!!!

Em Angola, Adalberto Costa Júnior, assim que foi eleito presidente da UNITA, principal partido político na oposição ao MPLA, iniciou a ascensão política ao monte calvário, com os Órgãos de Soberania a se colocarem ao serviço do MPLA através da instrumentalização de pseudo-membros da UNITA orientados por ex-dirigentes e outros em função para a envelhecida e enferrujada estratégia de aniquilar a UNITA e os ideais do seu Fundador.

Esta estratégia tem prosseguido com actos como o da anulação do XIII Congresso da UNITA, da perseguição até à exaustão do presidente eleito para ser obrigado a dobrar-se a vontade do MPLA, pedindo favores para ser entrevistado pelos órgãos de comunicação social públicos ou ser recebido em audiência por quem jurou defender a Constituição da República de Angola.

A UNITA e o seu presidente são instituições legais no Estado de Angola, nunca se dobrarão à vontade do MPLA.

Aos órgãos de justiça e os de segurança pública a UNITA exige que actuem de acordo com a Constituição da República de Angola e não permitam que gente bem identificada corrompa outros cidadãos, crie movimentos de desestabilização de outros partidos políticos como é o caso do dito “movimento de resgate”.

A UNITA exige que não se volte a complacências do passado que ajudaram a criar e manter a “UNITA renovada” pelo MPLA.

Voltar a lógica da ostracização da UNITA e do seu presidente como no passado contra o presidente fundador Dr. Jonas Malheiro Savimbi até a sua morte é uma jogada perdida que vai ser anulada pelos angolanos.

Continuarem com a política de não reabilitação da imagem do Dr. Savimbi por sua contribuição a história política de Angola é um erro político que os angolanos vão ultrapassar fazendo justiça e isso a história vai registar para sempre.

Já lá vão os tempos desta ostracização e discriminação obrigar os angolanos a se esconderem. Hoje, são milhões os angolanos que se levantam contra este regime que querem mudar em 2027, para bem de Angola e da independência para todos.

Obrigado

Siga-nos
Twitter
Visit Us
Follow Me
LINKEDIN
INSTAGRAM

Compartilhar:

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
error: Conteúdo protegido