Luanda: Médicos preocupados com o aumento de casos de hepatite nos hospitais
Luanda: Médicos preocupados com o aumento de casos de hepatite nos hospitais
enfermeiro 2

Três a quatro casos de hepatites já em estágio avançado são atendidos, semanalmente, nas principais urgências das unidades sanitárias da capital do país, de acordo com as equipas médicas.

De acordo com o médico gastrenterologista Sebastião Canísio, as hepatites são doenças que provocam a inflamação do fígado e a maioria é causada por vários agentes, desde os virais aos bacteriológicos.

Em média, por consulta, disse, o hospital recebe três a quatro pacientes em estágio avançado que, quando não tratada, tende a causar cirrose hepática e tumor do fígado. “Se tivéssemos as consultas todos os dias, teríamos mais números”.

Considerada como uma doença silenciosa, desconhecida e negligenciada pelos portadores, a patologia só é descoberta, geralmente, por meio da solicitação de exames, ou pela doação de sangue. “Devido as formas de contágio, as equipas médicas têm estado em alerta constante”.

A maior parte dos pacientes recebidos são assintomáticos e adultos, com idades entre os 18 e os 50 anos, descobertos através dos exames de sangue, quando vão fazer doações. A hepatites, esclareceu, diferenciam-se por meio dos tipos, sintomas e formas de transmissão. “A mais frequente nas estatísticas dos hospitais é a B e a C”.

Muitos pacientes, realçou, são assintomáticos e só descobrem a doença quando a sintomatologia ou a causa já está no estágio avançado e no inicio das complicações.

Sebastião Canísio explicou que, no principio, o doente pode apresentar apenas fadiga, náusea acompanhadas de vómitos, cansaço, dores articulares que se confundem com doenças gripais e paludismo, icterícia, aumento do abdómen e vómitos.

in JA

Siga-nos
Twitter
Visit Us
Follow Me
LINKEDIN
INSTAGRAM

Compartilhar:

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
error: Conteúdo protegido