Chefe da Repartição Fiscal de Benguela detido por suspeitas de crimes diversos – PCA da AGT pode estar envolvido
Chefe da Repartição Fiscal de Benguela detido por suspeitas de crimes diversos – PCA da AGT pode estar envolvido
Agt benguela

O chefe da Repartição Fiscal de Benguela, Joaquim Alberto Fernando, foi recentemente detido pelo Serviço de Investigação Criminal (SIC) devido a fortes indícios de envolvimento em crimes de falsificação de documentos, associação criminosa, participação económica em negócio e falsidade informática, soube o Imparcial Press.

A detenção do responsável da Administração Geral Tributária (AGT) de Benguela foi justificada pelo SIC com base na existência de receio de fuga e perigo de perturbação da instrução do processo, registado sob o número 26310/24.

Além de Joaquim Alberto Fernando, o SIC deteve também três funcionários da AGT/Benguela, envolvidos nos mesmos crimes e que se encontravam em fuga em Luanda. Informações partilhadas nas redes sociais confirmam estas detenções.

Fontes próximas ao Imparcial Press indicam ainda o possível envolvimento do presidente do Conselho de Administração da AGT, José Leiria, e do responsável da 5.ª Região Tributária, Milton da Costa, entre outras figuras ligadas ao Executivo de João Lourenço.

Os detidos são acusados de obrigar os contribuintes a recorrer às suas empresas de contabilidade e advocacia, promovendo concorrência desleal com outras empresas do setor, além de demonstrarem comportamentos de arrogância e outras práticas inadequadas.

Siga-nos
Twitter
Visit Us
Follow Me
LINKEDIN
INSTAGRAM

Compartilhar:

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
error: Conteúdo protegido