Juíza conselheira Domingas Alexandre, amiga “das confianças” de Exalgina Gambôa
Juíza conselheira Domingas Alexandre, amiga "das confianças" de Exalgina Gambôa
amigas TC

Até há bem pouco tempo, a presidente interina do Tribunal de Contas, Domingas Alexandre Garcia, foi a única juíza conselheira que se beneficiou das falcatruas da economista Exalgina Renée Vicente Olavo Gambôa dentro daquele órgão judicial, segundo as informações em posse do Imparcial Press.

Durante o seu reinado, a ex-juíza conselheiro presidente do Tribunal de Contas optou por fazer ouvidos de mercador às inúmeras preocupações diárias que lhe eram apresentadas pelos demais juízes. Porém, só convidou a juíza conselheira Domingas Alexandre Garcia, na altura sua adjunta, para “comer no seu prato”.

Destarte, com recurso ao Cofre Privativo do Tribunal de Contas, Exalgina Gambôa adquiriu, para a juíza conselheira Domingas Alexandre Garcia, uma residência no condomínio “Dalm”, município do Talatona, em Luanda, no valor de 189 milhões de kwanzas, ou seja, quase meio milhão de dólares norte-americanos, na altura.

De acordo com os dados divulgado pelo Maka Angola no ano transacto, o valor global deste imóvel (não menos luxuoso) foi liquidado em duas prestações ao empresário Amil Ali Bachu, nos dias 26 de Abril e 7 de Junho de 2021, curiosamente, no período de confinamento.

A par disso, Domingas Alexandre Garcia era quase a única juíza deste tribunal superior que Exalgina Gamboâ partilhava, em privado, algumas fofocas do dia. As duas eram vistas, em várias ocasiões, em ambientes de “comes e bebes”.

Agora não se sabe, até um certo ponto, se a actual presidente interina do Tribunal de Contas irá tentar encobrir/apagar os rastos da gestão danosa praticada pela sua “amiga”, que foi recentemente constituída arguida (juntamente com o seu filho) pela Procuradoria Geral da República.

De recordar que, em sessão orientada pelo presidente deste órgão, Joel Leonardo, o plenário do Conselho Superior da Magistratura Judicial, após apreciação, considerou efectivamente aceite o pedido de renúncia apresentado por Exalgina Gamboâ que cessa as funções de presidente do Tribunal de Contas e de juíza conselheira.

No entanto, foi indicada a juíza conselheira Domingas Alexandre Garcia, então vice-presidente do Tribunal de Contas, para exercer interinamente as funções de presidente. A acção resulta de imperativos legais, plasmados na Lei Orgânica do referido tribunal, para salvaguardar o seu normal funcionamento.

Até lá, o Conselho Superior da Magistratura Judicial deverá promover o concurso para o provimento da vaga que, de acordo com a Lei, deve ser realizado até 60 dias após o início da vacatura.

Siga-nos
Twitter
Visit Us
Follow Me
LINKEDIN
INSTAGRAM

Compartilhar:

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
error: Conteúdo protegido