Cuanza Norte: Corrupção e atribuição de notas leva Ministério da Educação anular concurso público
Cuanza Norte: Corrupção e atribuição de notas leva Ministério da Educação anular concurso público
luisa grilo

Face a notícia divulgada pelo Imparcial Press no último domingo (vide Cuanza Norte: Gabinete provincial da Educação adia publicação dos resultados – candidatos apreensivos), o Ministério da Educação (MED) anunciou esta quarta-feira, 10, numa conferência de imprensa, em Luanda, a anulação do concurso público para a admissão de novos professores no Cuanza-Norte, efectuado no ano passado, devido a suspeitas de corrupção e atribuição de notas.

Segundo a titular da pasta da Educação, Luísa Grilo, referiu que o concurso foi anulado por apresentar várias irregularidades, em especial na correcção das provas e atribuição das notas. “Estamos a trabalhar para realizar um novo concurso no dia 26 deste mês”, disse.

Para a ministra, os métodos utilizados para a atribuição das notas não foram transparentes e nem estavam em conformidade com os regulamentos estipulados para as provas.

“Todos sabemos que o concurso público tem um conjunto de procedimentos que devem ser respeitados”, disse, além de lembrar que para a prova o Cuanza Norte teve sete mil candidatos inscritos para 353 vagas.

A ministra destacou que qualquer acto de corrupção registado vai ser punido de forma severa. “Não devemos levar as coisas de ânimo leve”, referiu, acrescentando que lamenta o facto, por forçar os candidatos aprovados a ficarem atrasados, em termos de assinatura dos contratos em relação aos de outras províncias. “Mas é preciso cumprir os procedimentos legais”, ressaltou.

Actualmente, referiu a ministra, a Educação precisa de 50 mil novos docentes. “Por isso, têm sido realizados concursos públicos. É preciso que, com a construção e reabilitação das escolas, haja mais professores”.

De salientar que a província do Cuanza Norte teve mais de sete mil candidatos inscritos para 300 vagas, deste número, cerca de 200 foram aprovados de forma fraudulenta, pelo que todos terão de repetir a realização da prova de admissão ainda este mês.

Recorde-se, caro leitor que não é a primeira vez que se verificam a anulação de provas para admissão de novos professores devido a indícios de corrupção, nepotismo e atribuição de notas. Na província do Bengo, o Concurso Público da Educação foi anulado em 2019, porquanto no Cuando Cubango o processo foi igualmente cancelado em 2021.

Siga-nos e deixa um:
fb-share-icon0
Tweet 5k
Pin Share20

Compartilhar:

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook0
Twitter
Visit Us
Follow Me
LINKEDIN
INSTAGRAM
error: Conteúdo protegido