UNITA diz que João Lourenço está a transformar Angola numa Coreia do Norte
UNITA diz que João Lourenço está a transformar Angola numa Coreia do Norte
ACJ 20

O líder da UNITA, maior partido da oposição angolana, considerou este sábado, 03 de Fevereiro, que o Presidente João Lourenço está a transformar Angola numa Coreia do Norte, estando o país pior do que no tempo do seu antecessor, José Eduardo dos Santos.

Adalberto da Costa Júnior, que está desde sexta-feira em Cabinda para uma visita de trabalho que inclui contactos com várias entidades, realizou o primeiro comício do ano, escolhendo esta região do norte de Angola, para agradecer o “voto de confiança expressivo” na UNITA, que conquistou a província ao MPLA (no poder) nas últimas eleições gerais de 2022.

O presidente da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA) fez do MPLA e do seu líder, João Lourenço, também Presidente angolano, o principal alvo do seu discurso, sublinhando que “quem ganhou não está a governar” e recordando o período eleitoral e pós-eleitoral de 2022 em que o “Estado não soube respeitar a democracia”

“Nós tivemos problemas em todos os comícios, mas não dissemos nada, porque o medo é inimigo dos direitos e diminuiu a participação”, afirmou Adalberto da Costa Júnior, justificando desta forma os pelos feitos à “tolerância” e democracia

Em tom de provocação, questionou os militantes e simpatizantes da UNITA que hoje se concentraram para ver o líder do partido sobre “qual era a Angola pior? A de João Lourenço ou a de José Eduardo dos Santos”, recebendo como resposta “João Lourenço.

“Dirigentes que estão sentados no poder ouçam o povo, Angola está pior, temos maus governantes na cadeira do poder”, atirou.

Joao Lourenço, responsabilizado pela pobreza e por impedir o desenvolvimento de Angola é também o culpado por não haver autarquias, defendeu o dirigente da UNITA, criticando as tentativas de responsabilizar os deputados pela não aprovação do pacote legislativo autárquico porque quem esta sentado na cadeira do poder tem medo das autarquias

O líder da UNITA garantiu que vai levar o tema das autarquias “para todo o lado em 2024″ e disse que a nova Divisão Político Administrativa do País tem como único objectivo impedir a realização do poder local.

Temos de voltar à pressão publica, temos de voltar à rua, (porque) há pessoas que só sabem ouvir dessa maneira”, continuou o político, sublinhado que é preciso “sair da zona de conforto” e, se for o caso, voltar as manifestações.

“Desde que as eleições acabaram, meteram na cadeia muita gente, é para vos meterem medo. Mas aqui não há ninguém cego nem distraído”, vincou.

Adalberto Costa Júnior apelou também aos dirigentes europeus e de outros +países que não apoiem ditaduras em África, salientando a necessidade de punir golpes de Estados institucionais pelos partidos que governam.

“Os dirigentes têm de vir aqui e mostra que falam com a pluralidade senão vamos pensar que estão alinhados”, referiu, acrescentando que a UNITA tem andado em busca de solidariedade para Angola. “Tirámos as lições de 2022 e não vamos voltar a repetir em 2027”, prometeu.

O Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA) realizou também o seu arranque do ano político com um comício em Luanda, onde João Lourenço discursou, deixando também diversos recados à UNITA.

in Lusa

Siga-nos e deixa um:
fb-share-icon0
Tweet 5k
Pin Share20

Compartilhar:

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook0
Twitter
Visit Us
Follow Me
LINKEDIN
INSTAGRAM
error: Conteúdo protegido